O que se passa com a amizade ?   2 comments

SONY DSC“O que se passa com a amizade?

Se os amigos são tão importantes na nossa vida, como é que temos tão pouca vida para os amigos?
Tudo serve de desculpa. O trabalho, a família, o sono, o sofá. Habituamo-nos a adiar encontros cada vez com menos caracteres. Conversamos com ecrãs. Rimo com as teclas e fazemos likes para enganar a saudade.
Mas entre um “não posso” e outro, os grandes amigos vão-se tornando estranhos. O que é estranho!

As grandes amizades não pedem muito. Mas pedem manutenção. Pedem olhares, silêncios, sintonia. Piadas que mais ninguém percebe. Pedem tempo! Mesmo que pareça pouco. Vai sempre parecer.

Não precisamos de mil amigos, precisamos de bons amigos. Muito mais do que imaginamos.
Vá lá… liga-lhes e fura-lhes a agenda.
 Arranca-os da rotina. Das desculpas, seja a que horas for. Se estiveres de pijama, veste umas calças por cima. Marquem encontro no sítio do costume e façam o que sempre fizeram. Nada! Tenham conversas que não levam a lado nenhum. Contem as mesmas histórias de sempre, mas estejam juntos.
Está na altura de pousarmos o telefone e levantarmos o copo.
Se não puderes hoje vai amanhã. Mas vai mesmo.

Se a vida conspira contra a amizade, conspiremos juntos para a defender.

Leva a Amizade a sério!”

Texto: Publicidade da Super Bock

Foto: João Carvalho (Albufeira, Portugal, 2015 )

Posted 20 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Eu Queria Ter o Tempo e o Sossego Suficientes   Leave a comment

1795940_589465267810805_1408543349_oEu queria ter o tempo e o sossego suficientes
Para não pensar em coisa nenhuma,
Para nem me sentir viver,
Para só saber de mim nos olhos dos outros, reflectido.

Texto: Alberto Caeiro, in “Poemas Inconjuntos”

Foto: José Fernando

Pequena homenagem a José Fernando

 

Posted 17 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Caminho   Leave a comment

Caminho2Cantem,
Com toda a vossa
vontade,
O hino da Liberdade!
Protestem,
Com toda a vossa
Força,
O grito do vosso contra,
Da vossa rebelião!
Sonhem,
Tudo aquilo
Que nunca se atreveram
A pensar!
Respirem,
O ar que vos foi um dia proibido!
Vejam,
O brilho do Sol
Que vos recusaram!
Caminhem
Até á vossa meta,
E percorram vitoriosos
Os pântanos triaçoeiros
Da vossa Liberdade!

Texto: © Célia Moura in https://celiamoura.wordpress.com/2012/05/30/caminho/#more-3605

Foto: João Carvalho (Caminho de Santiago, Galiza, Espanha)

Posted 17 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Terra de lavra   2 comments

SONY DSCNós éramos os que trazíamos
Como plumas
As memórias nas mãos das madrugadas
E o sal dos dias
Nas têmporas de todas as nascentes
E bailávamos no Espírito do vento leste
Suavemente
Enquanto Deus sorria no azul do infinito
Transbordando taças de Lua Cheia.

Nós éramos as crianças que jamais envelheceriam
Porque beijavam o chão da terra,
Como quem beija seu pai e sua mãe.

Nós seremos como a figueira que dá seu fruto
Tantas vezes fustigada,
Porém quão profundas suas raízes…

Nós seremos sempre a semente eleita
Que o rio leva, o vendaval baila, o Diabo esfrangalha,
Em qualquer canteiro, monte ou seara
Só para criar morada no Tempo,
Para fundir raízes.

Texto: Célia Moura – a publicar “Terra De Lavra”, in https://celiamoura.wordpress.com

Foto: João Carvalho (Albufeira da Barragem de Montargil, Montargil, Portugal, 2015)

Posted 12 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

ser luminoso   3 comments

SONY DSCÉ a labareda da seda sob os dedos transmitida
ao corpo todo, seda extraída ao segredo –
tocar e ser tocado, sentir em si
a ligeireza do fogo, a profundeza,
e estremecer, ficar em chaga:
e com dedos e sedas manter às labaredas, entre
terror e louvor,
a comburente, combustível composição de tudo: ser
queimado vivo,
ser luminoso.

Texto: Herberto Hélder
Foto: João Carvalho 
(Albufeira da Barragem do Maranhão, Avis, Portugal, 2015)

Posted 7 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Eterna   5 comments

SONY DSCEterna
A penumbra que derramaste
Entre os meus dedos,
E o verde desses olhos,
Morena
Na enseada onde o devaneio dos corpos
Ia repousar em tempos idos.

Eterna
A voz que ecoaste neste silêncio.
Mulher amada,
Inventando a maresia
Num recanto sombrio do meu quintal.

De chuva caída pelo rosto
E palavras rodopiando pelos cabelos,
Gritam planícies
Coragem
Na Despedida.

Direi ao mar que sempre virás.

Texto: © Célia Moura–a publicar “No Hálito de Afrodite” 23/10/2012 in https://celiamoura.wordpress.com/2012/10/23/eterna/
Foto: João Carvalho, Ponte da Ribeira Grande
Fronteira, Portalegre, Portugal, 2015

Posted 4 de Abril de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

O mundo por vezes é cego   3 comments

SONY DSCPorém, o mundo por vezes é cego e tu és tão bela…
O mundo obedece a um estereótipo insistente e absurdo ao qual designa de belo, e tu és tu e és única.
O mundo é uma mentira. Não o queiras conquistar.
Conquista-te a ti mesma!

Texto: © Célia Moura in https://celiamoura.wordpress.com/

Foto: João Carvalho (Estremoz, Portugal)

Posted 31 de Março de 2015 by João Carvalho in Foto, Pensamentos

Tagged with

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.790 outros seguidores

%d bloggers like this: